sábado, 1 de maio de 2010

1º DE MAIO

Anarquismo
O 1º de Maio não é uma festa, nem uma romaria, mas também já não é um dia dedicado a uma manifestação institucional, um protesto ou uma exibição.

O 1º de Maio não pode continuar a ser a outra face da mesma moeda.

O 1º de Maio tem de ser uma jornada de luta que se deverá prolongar por todos os outros dias, uma tomada de consciência e, cada vez mais, um dia de acção, quer a nível nacional, quer a nível internacional.
Enviar um comentário