quinta-feira, 26 de setembro de 2013

OS CULPADOS


Estes são alguns dos principais culpados da situação de crise que se vive em Portugal e também no Mundo.

Estes e o poder económico e financeiro que arrasam o Estado Social, que dividem os Povos com a especulação dos ditos, e "anónimos" mercados, na ânsia da obtenção do lucro, usando palavras mansas e chantageando com a "inevitabilidade" das medidas que preconizam e defendem.

Este e alguns países, como os EUA, a Alemanha, a China, a Rússia e a União Europeia, com a sua política neoliberal, anti-social e expansionista, seguidos de perto por alguns dos seus lacaios que se colocam em bicos de pés na ilusão efémera de obterem uma parte do saque.

Em Portugal estamos a viver um período eleitoral. Não importa que estas eleições sejam autárquicas, legislativas ou para a Presidência da República. Sabemos quem são os culpados da situação a que chegamos e temos a obrigação de os penalizar.

É falta de carácter e coragem criticar quem nos tem "governado" e, quando chega a hora de tomarmos decisões, ir votar naqueles que criticamos, mesmo que as caras sejam outras, mas as políticas não o são.

Votar nos representantes dos mesmos partidos que nos arrastaram para esta situação, abster-se ou votar nulo ou branco, é entregar o ouro ao bandido. Quem o faz deve abster-se de criticar e aceitar docilmente a política que lhes é imposta.

QUEM NÃO QUER SER CORDEIRO, NÃO LHE VESTE A PELE.

Existem alternativas dentro deste sistema, só precisam que lhes dêem a possibilidade de se afirmar, de mostrar que são diferentes e, se não o forem, deverão ser também impiedosamente penalizados. Existem alternativas quer no sistema actual, quer na cidadania, por isto está na hora de sairmos da nossa zona de conforto e dizer: BASTA!

Quem o não fizer será cúmplice desta política e carrasco das legítimas aspirações dos Povos a alcançar uma vida mais justa e solidária.

Como cidadão português e do mundo estou convicto que, mesmo dentro deste sistema, existem alternativas, todas à esquerda, na esquerda real, não naquela que se diz esquerda e, quando no poder, se comporta como se direita se tratasse, subjugada pelos grandes interesses económico-financeiros e pessoais.

Acredito que, na minha óptica, a alternativa a um poder corrupto e desgastado está no Bloco de Esquerda, mas também noutras forças políticas de esquerda, da verdadeira esquerda, mas sobretudo numa forma participativa de viver a democracia, por isso nas próximas eleições irei votar BE.

O MAIS IMPORTANTE É QUE NO PRÓXIMO DIA 29 DE SETEMBRO OS PORTUGUESES VOTEM CONTRA OS PARTIDOS DO CHAMADO ARCO DO PODER, POIS FORAM ESSES QUE NOS ARRASTARAM PARA ESTA SITUAÇÃO DE CRISE QUE VIVEMOS ACTUALMENTE.

NÃO À ABSTENÇÃO, NEM AOS VOTOS EM BRANCO OU NULOS!
Enviar um comentário