segunda-feira, 14 de junho de 2010

Arquitecto de Sonhos



O sonho é uma luz que se abre no breu da nossa existência quando nos sentimos perdidos nas malhas que tecemos e nas armadilhas que nos montam, quando já não acreditamos que é possível sonhar, mas sonhamos.

O sonha busca-se, constrói-se, não acontece por acaso. Somos nós e a nossa existência, as nossas circunstâncias, que fornece a matéria-prima para a construção do sonho, o sonho de ser feliz.

O sonho não se explica, vive-se e, passo a passo, vamos colocando-o mais longe e mais alto e procuramos sempre alcançá-lo, colocando aqui um pouco mais de amor, um pouco mais de liberdade, mas sempre com o duplo objectivo de o procurar e, ao mesmo tempo, dificultar que se transforme em realidade, porque, paradoxo dos paradoxos, contradição das contradições, quanto mais o vivemos mais ele parece real sem nunca o deixarmos ser.

O sonho é o grande desafio da vida.

O sonho vive-se sem medos nem angústias, o sonho fica sempre ali, naquele lugar que buscamos.

O sonho é o nosso porto de abrigo, é o mundo que construímos dia-a-dia.

O sonho é viver um amor com paixão, agarrá-lo sem o agarrar, sentir a atracção que nos levará sempre para um sonho ainda maior.

O sonho é a liberdade de saber que podemos lá chegar sem nunca chegar, porque queremos sempre mais, porque acreditamos que também podemos dar sempre mais.

QUANDO NOS SENTIMOS FELIZES, A FELICIDADE ACONTECE!
Enviar um comentário