domingo, 1 de maio de 2011

Folha de Sala


Todos os espectáculos se realizam no Centro Cultural de Campo (Valongo), entre os dias 6, 7 e 8 de Maio de 2011.

— dia 6/5, 21:00
FILHOS DE
ASSASSINOS
de Katori Hall
TnE-Teatronaescola
da EB 2,3 de Campo
(Valongo)

— dia 7/5, 15:00
TODOS OS RAPAZES
SÃO GATOS
de Álvaro
Magalhães
Grupo de Teatro
da Escola EB 2,3
de Sobrado

— dia 7/5, 21:00
A BIRRA DO MORTO
- FARSA TRÁGICA
de Vicente Sanches
Grupo de Teatro da
Escola Secundária
de Rio Tinto

Seguido de café/tertúlia à volta do tema do teatro nas escolas

— dia 8/5, 17:00
Apresentação
pública do
trabalho
desenvolvido
pelos
participantes
dos workshops,
seguida da
sessão de
encerramento

----------------------------------------

O TEATRO É VIDA.

O Teatro funciona como um despertador do nosso rotineiro dia-a-dia.

Sentimentos e emoções, mágoas e alegrias, solidariedade e desprezo, passividade e protagonismo, tudo isto nos é transmitido pelo Teatro. Entra em nós e faz-nos reflectir. O Teatro funciona como uma Escola de Vida. Neste contexto, criar e interpretar textos, é uma experiência que faculta aos jovens oportunidades de questionar e contextualizar a vida nas suas múltiplas facetas

Pode dizer-se que promover a prática do teatro é, em última instância, proporcionar experiência significativas, as quais promovem a interacção entre actores e públicos e entre os actores em si mesmo, desenvolvendo capacidades fundamentais para o criação da personalidade do jovem, que permitirá desenvolver o seu espírito crítico e fornecer-lhe as ferramentas que lhe possibilitarão encarar a vida de uma forma autónoma e responsável, desenvolvendo-lhe a capacidade para ter opinião própria, de tomar decisões por si mesmo, fugindo ao estereótipo que, todos os dias, lhe é transmitido das mais variadas formas, e que não pretendem mais do que formatar o jovem num adulto obediente e seguidor cego de princípios que, na maior parte dos casos, são, no mínimo, questionáveis.

Esta mensagem mais ou menos subliminar, só pode ser combatida através de uma constante dialéctica em que tudo e todos são questionados, de forma a desenvolver um jovem adulto consciente do seu papel de cidadão activo e não um mero passivo que, acriticamente, assimila o que lhe é transmitido e exigido pela sociedade maioritária em que vive.

Formar cidadãos deverá ser o maior desígnio de uma escola e, o teatro e a cultura, são os veículos essenciais para atingir essa meta. Não uma meta estatística e efémera, mas uma meta que deixa a sua marca de água, que não se preocupa em ultrapassar etapas, mas sim em fazer chegar, com qualidade, o maior número possível de jovens a atingir uma maturidade que deverá estar ao alcance de todos. Sabemos que estas metas não se alcançam por decreto, mas sim com o empenho de toda a escola, da nossa escola.

Não restam dúvidas de proporcionar aos jovens em formação experiências que, com maior ou menor grau de consciencialização, sejam ricas em significados, que aguçam o espírito crítico, que obrigam a tomadas de posição e a escolhas que vão desenvolver o carácter e formar cidadãos verdadeiramente empenhados e responsáveis.

O TEATRANDO 2011 é o primeiro evento de muitos, que pretende ir mais além da simples partilha, que os grupos fazem do trabalho desenvolvido nos seus ambientes próprios.

O TEATRANDO convida os grupos de teatro escolar participantes (alunos e professores que os orientam) a revelarem os seus projectos, mas também os convida, durante três dias, a trabalharem em conjunto em novas experiências, devidamente enquadradas por profissionais de teatro e dinamizadores culturais.

VIVAS AO TEATRO FEITO NA ESCOLA!
Enviar um comentário