quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

No século XIX já havia quem pensasse como a maioria ainda não pensa no século XXI

Enviar um comentário