segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Dilema da Vida, ou Encruzilhadas da Vida



Amar e ser amado por quem amamos.
Tudo parece fácil no princípio,
Mas depois as vontades mudam
E amar já não é suficiente.

Não era isto que eu tinha em mente
Porque do amor não nos alimentamos.
Temos de construir uma família,
Tal como os meus pais construíram.

Diz-me onde está essa família idílica?
Por acaso são eles felizes? Amam-se?
Não estávamos mais certos no princípio?
Viver um para o outro sem limites?

Eis o grande dilema da vida.
Uma mentalidade burguesa
Que se encantou pela novidade,
Pensando que a podia moldar.

Tirar o melhor de dois mundos
É tarefa impossível,
Porque eles são diferentes.
Podemos construir o nosso,
Diferente de todos os outros.

Ter asas e aprender a voar.
Saber cortar as amarras
Que nos prendem ao preconceito.
Ser livre para amar,
Ser livre para ser amado.
Amar e ser amado,
Viver com autenticidade,
Fazer de cada dia um novo amanhã.

O dilema da vida é que as
Autenticidades mudam
E as ilusões também.
Enviar um comentário