terça-feira, 27 de maio de 2008

PRAKISTOU

Há hora e meia atrás ia sentar-me no computador para escrever um post. Tocou o telefone... Era o Zetó. Mas é sempre agradável falar com ele. Antes tinha conversado com o Luar e o Roclas.

Está-se bem!

O Zetó queria saber umas coisas a propósito de perfis de alunos de Matemática. Fogo... Eu sou de História.

Pronto... eu sei... estou a ser injusto. Só queria saber o que se passava na minha escola. Não sabia. Não era a minha área, mas fiquei de me informar.

Nunca se deixa só um amigo e o Zetó é um bom e grande amigo, tal como o Luar e o Roclas e mais alguns amigos e amigas. Sim, porque nisto de amizades sou muito selectivo.

A minha imaginação ardia de ideias, mas tudo vai por água abaixo quando se está a falar com um amigo. A nossa divagação intelectual bloqueia. Não, não por causa dos amigos (estes até são bastante motivadores), mas a nossa atitude foca-se num pequeno ou grande pormenor e nada mais passa a ter sentido.

Nada perdi, pois nem sei bem o que ia dizer. Mas de certeza que não seria mais importante do que louvar a amizade.

Obrigado meus amigos!
Enviar um comentário