sexta-feira, 9 de maio de 2008

Um Ano Depois

O teu silêncio é, foi, mais ensurdecedor do que o meu grito.

Faz hoje precisamente um ano que, depois de 3/4 anos de ilusão e de 6/7 anos de angústia, iniciei o processo doloroso da minha verdadeira separação. Tudo isto depois de cerca de três anos de profunda depressão (da qual não tinha consciência, nem sabia que existia) causada por uma paixão/amor que tinha, mas que sentia que já não ser correspondida, mesmo que as tuas palavras dissessem o contrário a verdade é que se confirmou tudo o que eu sentia.

Há um ano atrás, num dos picos da minha depressão precisei da tua ajuda, pela primeira vez na vida precisei da tua ajuda. A tua resposta veio de acordo com aquilo que eu já devia saber, isto é, viraste-me as costas. Foi o teu primeiro momento de sinceridade.

Neste dia tentei uma saída definitiva para a minha vida, entendeste tudo ao contrário, mas por outro lado mostrou-me a verdadeira pessoa a que tinha estado ligado nos últimos 10 anos. Foi o primeiro e decisivo passo para a minha libertação.

Insensibilidade e frieza é a melhor forma de, quando estamos mais fragilizados, nos ajudar a abrir os olhos e compreender o logro em que vivemos. Eu percebi a mensagem.

Obrigado por te teres assumido, tiveste um momento de sinceridade. Obrigado por me teres permitido encontrar um verdadeiro e desinteressado amor.

Hoje é dia de festa, estou feliz, enterrei a falsidade.

Não se ama alguém que não ouve a mesma canção.
Enviar um comentário