domingo, 29 de março de 2009

Arte Efémera


O Seabra é o primeiro a atacar a parede com traço e cores fortes.


Segue-se a Mariana com cores mais suaves e um traço mais arredondado.


Por último o Sabão, ainda a sofrer da maleita de que foi vítima esta semana usa cores castanhas e figuras demoníacas, mas se repararem bem algo mais aparece escondido.


A Elsa e a Lília também colaboram dando uma ajuda com o seu cunho naif.








O aplauso é geral.


Eu não fiz nada, mas diverti-me imenso, fico a guardar-me para a escrita.








Por hoje a obra ficou assim.


Como é da praxe encerramos a primeira fase de arte efémera com um uivo.


Eis que chega o crítico de arte.


Em breve mais pinturas aqui e também uns poemasitos para abrilhantar a obra.
Enviar um comentário