quinta-feira, 5 de março de 2009

Filhos



Filhos!

Como vos amo!
Nem sempre o soube demonstrar.
Nem sempre o sei demonstrar.

Filhos!

A vida vai-se através de mim, escorre.

Protector serei?
Não sei!

- Protejo à distância!

Deixei, deixo-vos crescer.

Não vos quero ensinar caminhos.
Nunca quis!
Apenas mostrar caminhos.

E vós meus filhos?
O que sois vós?

- A âncora que me amarra à vida!

A vós, meus filhos, apenas vos peço que me deixem voar.
Deixem-me partir, para regressar.

Deixem-me voar!
Enviar um comentário