segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

IT Girl & PC Man Valentine's Day

EPISÓDIO 4


IT Girl e PC Man vão jantar a um restaurante grego para comemorar o Valentine´s Day, aquele dia que a populaça designa por Dia dos Namorados.

Depois de um jantar romântico onde provaram iguarias afrodisíacas, bem regadas com "Ice Tea" e "Pepsi Cola", para condizer com os seus próprios nomes.

PC endireita-se na cadeira e olha fixamente para IT.

Com o olhar brilhante, aconchega as mão de IT com as suas, de forma decidida e forte, deixando transparecer todo o amor que dentro dele sente ao mesmo tempo que o faz fluir naquele aperto de mãos. Não resistindo à sedução do olhar de PC e à torrente que sente penetrar em si, IT verte uma lágrima, que lhe escorre pela face, e assume uma postura lânguida. Está com os sentidos e as emoções ao rubro.

Depois de um breve momento de silêncio, em que ambos ficam mudos pelo sublime êxtase que estão a viver, PC, com a garganta ainda meia a tremer diz:

PCM: Darling I'm so in love. I love you so much...

ITG: I love you too...

PCM: I love you too twice...

ITG: I love you twice too...

PCM: ??????

ITC: Sim, querido, eu amo-te no dobro em que tu me amas. Sabes, quando ficamos assim envolvidos, confundo as palavras todas e fico tão tonta que até esqueço o inglês. Fico naquela: you are here, you are eating.

PCM: I hope so honey.

ITG: Não sejas grosseiro "P"!

PCM: Ok, ok, estava só a fazer blague.

ITG: Tu e os teus francesismos. Nunca percebi porque gostas tanto dessa língua de idiotas.

PCM: Prontos querida, hoje não uso mais o francês.

ITG: Nice. Mas voltemos ao estado em que estávamos, porque eu estava toda derretidinha.

PCM: Today is our first Valentin's Day and I will need to say something to you that you'll never forget.

ITC: But I will never ever forget you, my darling.

PCM: So, I will go side by side with you... from dawn till the sunset!

ITC: Oh my God. I really love you my sweet dream. Sabes, eu tinha colocado num pedestal um demónio, mas agora sei que no meu pedestal está um santo.

Levantam-se. Pagam a conta.

Imaginam-se numa qualquer ilha grega ou, em alternativa, em Cuba, onde IT tinha prometido levar PC, mas num SPA de luxo, longe dos horrores da pobreza. Olham-se nos olhos como se estivessem num paraíso em que o Mundo, aquele que nós sabemos que é real, tivesse deixado de existir por artes mágicas e, em vez dele, tivesse sido criado um novo e idílico Mundo, só para sublinhar aquele momento de sublimação etérea que ambos partilhavam.

Apaixonados e de corpos bem colados um ao outro, dirigem-se para a porta de saída como se caminhassem rumo ao Pôr-do-Sol.
Enviar um comentário