sábado, 10 de fevereiro de 2007

Diamante de Sangue

Ontem fui ao cinema e, um pouco ao acaso, escolhi ver DIAMANTE DE SANGUE, um filme de Edward Zwick. Foi uma agradável surpresa.

Leonardo DiCaprio consegue surpreender-me pela segunda vez, deixou de ser aquele puto imberbe para se transformar num verdadeiro actor, Djimon Hounsou é simplesmente soberbo, Jennifer Connelly faz um papel limpo. A história é conhecida, mas toca-nos profundamente. É verdade que, num ou noutro diálogo, se pode ver/ouvir subliminarmente uma pequena mensagem neocolonialista, a qual não é suficientemente forte para manchar as qualidades do filme. Eis pois um filme a não perder.

Que ninguém saia da sala com uma lágrima ao canto do olho. Não se deixem levar pela compaixão, que ninguém encolha os ombros e lamente o mundo em que vive. Saiam revoltados, enojados, repugnados. Saiam com a convicção que está nas mãos de cada um a capacidade para alterar a hipocrisia e a arrogância da moral capitalista. Compreendam que neste mundo globalizado não há ética, não existem valores para além da ganância. Não há cultura ocidental ou cultura oriental ou sequer cultura, o que existe é o poder do dinheiro controlado por uma número apreciável de poderosos onde os políticos desempenham um papel de marionetas e a Humanidade de figurantes.

Sintam revolta.

REVOLTEM-SE!

Saiam e corram pelas ruas e gritem a vossa revolta. Corram com os vendilhões. Partam as montras das ourivesarias e joalharias e destruam o ouro, as jóias, os diamantes. Queimem o dinheiro na praça pública. Deitem fogo aos poços de petróleo. Tomem consciência de que o destino está nas mãos de cada um e que cada um é agente e não reagente. Não prestem atenção a "deuses" e "salvadores" que vos obrigam a desviar o olhar, tentando convencer-vos a não verem o ódio, a miséria, a indignidade, a desumanidade, porque eles, sim eles, os iluminados tratam de tudo.

Não sintam medo! Não temam o castigo! Revoltem-se!

Já vos massificaram, já vos desumanizaram, já vos transformaram em peças que facilmente são substituidas por outras peças ainda mais obedientes.

Sintam nojo, sintam repugnância, sintam a besta humana no seu ninho de serpente e extripem-na enquanto é tempo.

REVOLTEM-SE! REVOLTEM-SE! REVOLTEM-SE!

Despido dos mitos que marcaram a nossa infância e juventude, se hoje me perguntassem qual foi a personalidade marcante do século XX eu só poderia responder: Mahatma Gandhi. Só Gandhi compreendeu onde estava o futuro da Humanidade. Está na hora de pegar no seu exemplo, sem criar novos mitos, porque Gandhi foi um e nós somos cada um, isto é, que Gandhi seja não um modelo, ou um novo mito, mas uma fonte inspiradora sem fundamentalismos.

Nós não precisamos de um Mundo novo. Precisamos de um Homem novo. Um Homem capaz de amar, tolerante e despido de preconceitos. Um Homem livre.

REVOLTEM-SE! Poderá haver revolta mais radical e violenta do que o AMOR?

Então amem e estarão a construir o Homem Novo. De que é que estão à espera? AMEM!
Enviar um comentário