terça-feira, 16 de junho de 2009

Perguntas


É tão difícil perceber e perceber-me.

Porque será que tenho um cérebro, se esse cérebro não me serve para nada?

Porque será que quando tento dizer uma coisa, é sempre entendido o oposto?

Porque será que me sinto constantemente a ser julgado e condenado por pecados que não cometi, ou que imagino não ter cometido?

Quem é que eu sou?

Serei assim tão abominável? Tão incapaz? Tão grunho? Tão sem interesse? Serei uma pessoa tão inútil? Tão sem graça?

Porque é que eu não me entendo? Porque não sei lidar com a vida? Porque não sei lidar comigo?

Porque é que a vida, para mim, é tão pesada?

Porque é que amar é tão complicado?

Porque será que tenho de pensar no amanhã, quando a felicidade está no hoje?

Não posso viver o hoje sem pensar no amanhã?

Porque amamos quem não queremos e não amamos quem merece?

Onde está a minha alma gémea?

Tantas perguntas, tão poucas respostas.
Enviar um comentário