segunda-feira, 21 de maio de 2007

Fantasmas? Não Obrigado!

Foi também aqui, ou melhor, foi principalmente junto dos meus filhos, que encontrei as forças necessárias para combater a adversidade e a demência.

Obrigado meus filhos!

Eu amo-vos e é nesse amor que me refugiarei sempre, assim como serei sempre porto de abrigo para qualquer um de vocês os três.




Clicar aqui para ler: FANTASMAS



PEDRO ABRUNHOSA: "Quem me leva os meus Fantasmas"

Enviar um comentário